Você sabe por que alguns alunos são mais motivados e se saem melhor na escola do que outros? A explicação está na teoria da Pirâmide de Maslow, que surgiu em meados dos anos 1900, com base em estudos do psicólogo americano Abraham Harold Maslow. De acordo com a teoria, os seres humanos possuem uma série de necessidades em comum que devem ser supridas por ordem de prioridade.

Todas elas são ilustradas visualmente da base para o topo da pirâmide, em ordem sequencial. As necessidades da base representam os níveis básicos da sobrevivência, como alimentação e moradia. Já os níveis mais altos estão conectados com o lado emocional, como a aceitação social e a autovalorização.

Conforme atingimos cada um dos níveis nos sentimos mais preparados e motivados para seguir adiante até o máximo de nossa realização pessoal. Quando não, passamos a nos sentir bloqueados pelo medo. Assim como descreve Maslow:  “Podemos escolher recuar em direção à segurança ou avançar em direção ao crescimento. A opção pelo crescimento tem que ser feita repetidas vezes. E o medo tem que ser superado a cada momento. ”

Entenda todas as etapas como propulsoras para o desenvolvimento humano:

Os níveis da pirâmide de Maslow

De acordo com a Pirâmide de Maslow, a Hierarquia de Necessidades são as seguintes:

Necessidades Fisiológicas: São relacionadas às necessidades do organismo, e são a principal prioridade do ser humano. Entre elas estão: respirar e se alimentar. Sem estas necessidades supridas, as pessoas sentirão dor e desconforto ou ficarão doentes.

Para as crianças, é a garantia de que estão comendo de maneira saudável, indo dormir na hora certa e com tempo de se exercitar e brincar por exemplo.

Necessidades de Segurança: Envolve a estabilidade básica que o ser humano deseja ter. Por exemplo, segurança física (contra a violência), segurança de recursos financeiros, segurança da família e de saúde.

Na infância, essa necessidade é suprida quando a criança sente que tem um lar harmonioso onde é acolhida e protegida. Quando ela não sofre nenhum tipo de agressão física ou verbal e é estimulada para se desenvolver e não sentir medo.

Necessidades Sociais (amor e pertencimento): Relacionadas à atividade social, como amizades, aceitação social, suporte familiar e amor.

Além do amor da família as crianças também precisam começar a criar seu círculo social, que costuma se iniciar na escola. Devem poder pertencer não só aos lares em que vivem, mas também a todos os seus ambientes de convívio social, com direito a ter amigos, colegas e orientadores.

Necessidades de Status e Estima: Considera que uma pessoa deve conseguir se sentir competente e respeitada. Para desenvolver sua estima, a criança precisa ser elogiada e incentivada a todo momento. Da mesma forma, atender a limites para não seguir o caminho contrário, se tornando egoísta e totalmente autocentrada.

Isso porque nesta fase, não enxergam a si mesmas com clareza e são muito suscetíveis a qualquer tipo de opinião externa.

Necessidade de Autorrealização: Focada em superar desafios. A pessoa neste nível gosta de resolver problemas, possui um senso de moralidade e gosta de ajudar aos outros. Suprir esta necessidade equivale a atingir o seu mais alto potencial enquanto ser humano.

Uma necessidade por vez

Apesar de todas elas precisarem ser supridas, cada uma só pode ser transcendida a partir da fase anterior.

Afinal, o psicólogo afirma: “nem adianta falar em motivação e realização pessoal para uma pessoa que está, literalmente, lutando pela sua sobrevivência. ”

Isso explica por que crianças de classes socioeconômicas muito baixas possuem maiores dificuldades de aprendizagem. Infelizmente, quando sequer o essencial é atingido, será difícil obter a motivação exigida pelos estudos.

Portanto, é nítido o quanto os pais são responsáveis por atender ao menos os dois primeiros níveis de hierarquia, começando pela base. No entanto, a partir de determinado momento, essa responsabilidade também passa a ser compartilhada com a escola.

O que se diferencia, é o nível desta interação em profundidade. Apesar de ser essencialmente atendida pelos pais, mesmo a base da pirâmide é algo a ser preenchido pelas escolas.

Na questão fisiológica, um ponto a se pensar é que as escolas precisam garantir estabelecimentos que ofereçam refeições saudáveis. Já a segurança também é questionada não só através da estrutura e do ambiente, mas pensando na saúde dos alunos. Será que a sua escola é saudável e segura? Com ambulatório e atendimento adequado em casos de doenças e acidentes?

Pedagogia socioemocional

O meio da pirâmide, quando surgem questões sociais e de autoestima, é representado pelos anos escolares.  Nesta fase, quando as crianças começam a fazer amigos em sala de aula, é nítida a relação com este tipo de necessidade.

Entender o papel da escola é de extrema importância. Principalmente considerando o fato de que hoje, muitos alunos crescem em famílias disfuncionais. Até mesmo devido ao fato de que os próprios pais não foram educados para este direcionamento.

Para fugir do ciclo vicioso, a escola, quando preparada para fornecer uma pedagogia socioemocional, entra em ação como um complemento da educação recebida em casa. De certa forma, também surge como uma segunda oportunidade para que as crianças se desenvolvam melhor neste sentido.

As atividades e jogos em grupo são caminhos que auxiliam a criar o ambiente propício para as interações sociais entre os alunos, com objetivos educacionais.

Agora a necessidade máxima de autorrealização provavelmente apenas será atingida na fase adulta, através do trabalho e outras atividades. Até porque, repleta em si mesma, esta pessoa passará a olhar para questões maiores além de sua própria vida. A escola pode começar a ativar esse nível sugerindo desafios e propondo a reflexão sobre a relação e o espaço do outro.

É fundamental que, durante sua educação as crianças e jovens tenham acesso a todos os níveis. Assim, há grandes chances de que se tornem cidadãos conscientes preparados para ajudar a transformar o mundo ao redor!

Fonte: https://educador360.com/gestao/piramide-de-maslow/