Hábile – Sistema de Avaliação Positivo

Toda escola deve, sempre que possível, refletir sobre suas políticas e práticas internas, para garantir a qualidade dos seus processos educativos.

Com o objetivo de contribuir com esse importante propósito, a Editora Positivo desenvolveu o hábile – Sistema de Avaliação Positivo, destinado à avaliação educacional externa de aprendizagem em larga escala. Visa a colaborar com nossa equipe pedagógica, analisando os resultados de suas práticas internas e processos de ensino e aprendizagem.

A avaliação está fundamentada:

  • na Lei de Diretrizes e Bases Nacionais (LDB – n°. 9.394/96);
  • no Plano Nacional de Educação (PNE);
  • nas Diretrizes Curriculares Nacionais (DCN);
  • nos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN);
  • nas Matrizes de Referências do SAEB, PROVA BRASIL e PISA e do ENEM, bem como na proposta curricular do Sistema Positivo de Ensino (SPE).

ENSINAR COM QUALIDADE EXIGE REFLEXÃO E ANÁLISE CONSTANTE

O hábile coleta e sistematiza informações a respeito do desempenho dos alunos sob a proposta baseada em conceitos de competências e habilidades, por meio de testes e questionários contextuais aplicados na própria escola.

ENSINO FUNDAMENTAL

– Língua Portuguesa (enfoque na leitura)
– Matemática (ênfase em resolução de problemas)
– Ciências (foco nos fenômenos naturais e na tecnologia)

ENSINO MÉDIO

– Ciências Humanas e suas Tecnologias; – Ciências da Natureza e suas Tecnologias; – Linguagens, Códigos e suas Tecnologias; – Matemática e suas Tecnologias.

COMO FUNCIONAM AS AVALIAÇÕES?

  • Os testes são construídos por meio de itens, em diferentes tipos de cadernos propostos para cada ano, em cada área de conhecimento.
  • Por meio dos questionários, são coletadas informações contextuais sobre alunos, professores e diretores.
  • Essas informações auxiliam no entendimento dos resultados obtidos, envolvendo questões socioculturais, socioeconômicas, hábitos de leitura, entre outras.

Entre outras habilidades, o hábile verifica se os alunos têm capacidade de identificar, de estabelecer relações e de fazer inferências, tendo como base uma situação cotidiana, pública e científica.