O Integrado em seus primeiros anos usava o que de mais moderno existia em tecnologia: máquina de escrever e mimeógrafo.

As aulas eram ministradas com “quadro negro, giz e saliva” e o professor, detentor de todo o conhecimento, passava aos alunos esse conhecimento “tim-tim por tim-tim”.

Com o advento do computador pessoal e, em seguida, do sistema Windows, tornou-se possível produzir textos e desenhos com qualidade além de gerar e imprimir originais coloridos em impressoras a laser ou jato de tinta.

O avanço da tecnologia nos levou ao “mundo digital” onde o papel praticamente deixou o cenário e tudo, ou quase tudo, acontece numa tela de tablet, num notebook, num laptop ou num celular e o armazenamento de dados ( textos e desenhos ) passa a ocorrer “na nuvem”.

Vários “portais” de informações foram disponibilizados para consulta e num piscar de olhos podemos “perguntar” praticamente tudo e obter respostas detalhadas em qualquer área do conhecimento humano.

Cabe destacar, porem, que a educação relativa aos princípios básicos da vida em sociedade continua sendo tarefa da família e, nesses tempos de mudanças tão aceleradas, passou a exigir mais deste núcleo familiar na orientação e no acompanhamento da educação das crianças e adolescentes.

Os professores, que antes cuidavam apenas da educação acadêmica prevista nos livros didáticos, também passaram a ocupar importante papel na orientação dos valores necessários à vida em grupo como responsabilidade, respeito ao próximo, honestidade, compaixão, etc.

Nesse mundo digital continua o uso do “quadro negro e saliva”, porém o professor tem se apropriado cada vez mais das tecnologias disponíveis e passa a ser o facilitador que filtra a informação e media o conhecimento, contextualizando-o no universo do aluno e estimulando o exercício da criticidade.

Outro relevante papel do Integrado é assegurar que os alunos deixem o “mundo virtual” e busquem a socialização entre eles. As horas passadas na escola oferece importante oportunidade para interação com outros alunos, professores e demais colaboradores que permite exercitar sentimentos como amizade, companheirismo, solidariedade, frustrações, conquistas e alegrias.

Educar exige estudo, tecnologia, reflexão, diálogo e humanismo. Esses são instrumentos fundamentais na arte de construir e oferecer uma educação voltada à emancipação que permitirá aos nossos alunos escolher qual caminho seguir em busca da realização dos seus sonhos.